Lula descobre que o impeachment de Collor foi golpe

lula-da-silva-durante-manifestacao-pelo-impeachment-
Botão Siga o Disparada no Google News

Por André Luiz dos Reis – Lula está desconfortável para falar sobre o ‘golpe branco’ contra Dilma. É que ele só pode bater mesmo em Temer, já que está aliado com diversos atores que participaram do impeachment: MDB, cúpula do antigo PSDB, STF, Rede Globo etc.

Estes atores cobram Lula por suas falas sobre o golpe branco. É um recado: “lembre-se que fomos nós que te soltamos e te colocamos de novo no Planalto”.

Os lulopetistas rebolam para não perceber o óbvio.

O impeachment tem um lado jurídico, mas é prioritariamente processo político, que caminha ou não segundo as articulações realizadas no Parlamento e atentas à sociedade organizada e às massas.

A cabeça de Dilma foi entregue por setores partidários que desejavam se articular contra o lavajatismo, e para isso entregaram-se despudoramente àqueles que reivindicavam um choque liberal no país. Temer é o símbolo desse acordo periclitante.

Ter se dado sob formalidades legais não descaracterizam o impeachment como ‘golpe branco’.

O uso e abuso do instrumento do impeachment é uma das consequências mais nefastas da crise de legitimidade atual. E também um instrumento nas mãos daqueles que desejam enfraquecer o Executivo e estabelecer um “semi-presidencialismo/semi-parlamentarismo” tutelado pelo STF.

E agora o PT descobre a falta de argumentos para negar que o impeachment de Collor foi também um ‘golpe branco’.

Ainda bem que sou brizolista.

PS.: Não tenho ‘pena’ de Collor porque depois veio Itamar Franco. Diferente de Dilma, que foi substituída por uma súcia anti-Brasil.

Por André Luiz Dos Reis